SPPREV>> Demonstrativo de pagamento deixará de ser enviado pelos correios

A partir de dezembro/18, envio dos holerites por correios será suspenso; porém o documento passará a ser disponibilizado também nos cai...

domingo, 21 de janeiro de 2018

AS ALTERAÇÕES NO DECRETO QUE DISPÕE SOBRE A INATIVIDADE DOS INTEGRANTES DA PMESP

Recentemente foi publicada a Lei complementar nº 1.305, de 20 de setembro de 2017, que passou a viger em 21 de setembro de 2017. Com isso, o Decreto-lei nº 260, de 29 de maio de 1970, que regula a inatividade dos integrantes da PMESP, sofreu diversas alterações que merecem destaque e atenção de todos os policiais militares.




Resumo das alterações:

Todos os policiais militares, independentemente de serem Praças ou Oficiais, serão transferidos para a reserva (a pedido ou ex officio) e, somente depois de preenchidos os requisitos que impedem a permanência nessa condição, serão reformados.
Importante ressaltar que, nesse ponto, a reserva constitui situação de inatividade sujeita à reversão ao serviço ativo, enquanto a reforma significa a inatividade definitiva do militar do Estado, mantendo-se o vínculo estatutário com a PMESP.

Enquanto estiverem na Reserva, poderá ocorrer reversão ao serviço ativo, o que ocorrerá somente mediante ato do Governador, nas seguintes situações:

1) em caso de guerra, grave perturbação da ordem pública ou de calamidade
pública;
2) por convocação da Justiça Militar Estadual;
3) para presidir inquéritos policial-militares;
4) para compor Conselho de Justificação.

5) Qual é a idade-limite para a permanência no serviço ativo?
R: 60 (sessenta) anos.

6)  Quais são os requisitos para requerer a passagem para a reserva?
R: Contar, no mínimo, 30 (trinta) anos de serviço, dos quais 20 (vinte) em atividade
estritamente policial.
7) Qual é a idade-limite para permanência na reserva?
R: 65 (sessenta e cinco) anos.
8) Antes de atingir a idade-limite de permanência na reserva, quais são as
possibilidades do policial militar atuar na PMESP?
R: Reversão ao serviço ativo ou designação.


Os policiais militares que já tinham implementado as condições para a passagem para a reserva, ou de ser reformado, antes de 20 de setembro de 2017, não serão atingidos pelas novas regras da Lei Complementar nº 1.305/17.



acompanhe o texto completo no site da ALESP  acesse o link e saiba mais >>

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.305, DE 20 DE SETEMBRO DE 2017

DECRETO-LEI Nº 260, DE 29 DE MAIO DE 1970 (Atualizada até a Lei Complementar nº 1.305, de 20 de setembro de 2017)

5 comentários:

  1. Grande coisa,,, papel,papel, e muito blablabla, a pm ta jogada as traças e os caras tao preocupados con un detalhe sem serventia alguna pelo menos aos praças, tenho una P curiosidades de saber quién e o Grande ..... Qué bola essas asneiras, porque que nao faz algo para mata a fome do filho do contado que ahora faz DEJEN, BICO E PM sem conta os aposentsdos que estao en dificultades, e so enchinento de linguica Bando.....

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente e un absurdo o tanto de tais estudiosos que bolam ciertas coisas , pensó que o tal dorme mal e acorda um certo día e fala""" tive una idea"""e inventa essas baboseiras, pode ter certeza que Ter vantagem para alguien menos para o praça, sem conta a tal associacao que parece qie sumiu do mapa,

    ResponderExcluir
  3. Caros amigos deveriam sim acabar com dejen delegada e outras formas de manipular o salário dando dignidade aos policiais sem mascarar os aumentos devidos são 27 % de aumento salarial isso não da mais para suportar agora alterações em decreto que só agrava mais idade para reforma 65 anos na viatura combatendo a criminalidade me desculpe isso é o fim

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

"O Bizu da Adm não publica comentários ofensivos, que utilizem expressões de baixo calão ou preconceituosas. Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do Bizu da Adm."

Notícias Policiais

Notícias da hora

Consultor Jurídico

BLOG DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO